terça-feira, 28 de dezembro de 2010

2011: Verdes dias, vermelho coração..


É fato e creio serem todos sabedores: amo vermelho. Nem saberia dizer como - e onde - tal paixão começou, mas é algo tão enraizado em mim, que deve remontar aos meus primeiros anos de vida.
E por que vermelho?
Porque vejo vida! Porque pulsa, porque é a cor do meu sangue, porque simboliza paixões, arrebatamentos, êxtase... rubores.
Porque melhora meu humor, porque sempre garante o "it", o "toque pessoal"...
De tão propalada, todos sabem dessa paixão. Não escondo não. Ah, e não há um única dia em que não haja um detalhe vermelho em mim - um brinco, meu relógio favorito, colares, bolsa....... a lista é simplesmente interminável...
Minha roupa de ano-novo já está lá, definida... vermelho. Alguns haverão de pensar: "ah, ela está em busca de amor, de paixão". E quem não está? Considero a paixão o ingrediente mais saboroso de todos. Imagine ter uma pitada dela todos os dias?!?
E é sobre os meus desejos de ano novo que eu quero falar. Porque está tão próximo, tão "na mão". Inevitável. E você, leitor, amigo, confrade, comensal, que me dá a honra de tê-lo nesta "cozinha", que acompanha os posts, deve ter notado: 2010 foi punk. Trash, eu diria. Não foi fácil, não. Mais eis-me aqui. Você, aí. Chegamos vivos, sem grandes escoriações, hematomas ou perdas significativas, certo?
Costumo dizer, embalada pelo Dalai Lama, que todo sofrimento é purificador. Eu acredito nisso com todas as forças. Creio que o que não nos mata, nos fortalece. Não me faltariam clichês para arrolar agora, mas deixemo-os para um outro momento...
Agora, enquanto escrevo esse post, minhas lembranças reavivaram e agradeço por ter tido um ano tão intenso. Foi ruim? Foi. Mas teve tanta coisa bacana, entrementes... Descobri (olha um outro clichê) que só conhecemos nossos amigos nos momentos mais complicados, delicados, difíceis. Descobri que determinadas "faxinas" - as emocionais - são deveras difíceis de serem iniciadas, mas igualmente necessárias e válidas. Depois de anos, limpei meu coração e me reconciliei com meu eu presente. Algumas pessoas saíram da minha vida e depois de tanta "inconformidade", percebo claramente que saíram para dar lugar a outros personagens reais, palpáveis.
Resolvi enfrentar alguns complexos de frente e essa "terapia" foi libertadora.
(...)
Voltemos ao cerne: 2011. Tão perto, tão promissor, pleno de expectativas. E desejos.
Um deles externarei agora e quero uma cor para tingi-lo.
Vocês pensaram "vermelho", acertei?
rs
Não, não. Será um desejo em "verde".
Ontem encontrei um LP (sim, meus caros, LP) da Leila Pinheiro e ao ouvi-lo, voltei no tempo e revivi uma infância mágica. Eu amava esse LP, tão obrigatório nos domingos entre meus tios. Lembrei que sempre que a Leila vinha a Belém, para seu anual show no Theatro da Paz, lá íamos eu, pirralha e minha tia Mirna (vizinha tão querida).
E fiquei emocionada...
Que venha 2011 a nos alimentar o verde nos olhos, o sinal verde para correr atrás das quimeras, o ar puro, o respeito ao nosso lar. Verde... todos os dias. Que a gente se permita viver intensamente, a sentir o vento e almejar que tragam boas notícias.
Porque os grandes ventos da revolução iniciaram com sussurros por mudanças...
"Verdejantes tempos... mudança dos ventos no meu coração"

Verde

Composição: Eduardo Gudin/Costa Netto

Quem pergunta por mim
Já deve saber
Do riso no fim
De tanto sofrer
Que eu não desisti
Das minhas bandeiras
Caminho, trincheiras, da noite
Eu, que sempre apostei
Na minha paixão
Guardei um país no meu coração
Um foco de luz, seduz a razão
De repente a visão da esperança
Quis esse sonhador
Aprendiz de tanto suor
Ser feliz num gesto de amor
Meu país acendeu a cor
Verde, as matas no olhar, ver de perto
Ver de novo um lugar, ver adiante
Sede de navegar, verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração
Verdejantes tempos
Mudança dos ventos no meu coração




ATUALIZAÇÃO
01.01.11
Em razão de um plantão super puxado e comemorações mais "modestas", tive de deixar o suntuoso vestido vermelho para uma outra ocasião e passei de azul.. (não se choquem, porque, para homenagear a posse da nova presidenta do Brasil, usei vermelho o dia inteiro).

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Nessun dorma!



Não durmam! Não agora, que a alvorada se aproxima...

Torta de amêndoas com nozes - a receita


Já vou começar esse post com um pedido de desculpas.
É, desculpas. Fiz essa receita depois de folhear o "Dona Benta", minha "Bíblia Gastronômica" e pensar num "toque pessoal". Por isso, queridos amigos, confrades e comensais, essa é uma receita de olhômetro. Sem medidas exatas. Eu sei, eu sei...

Mas tentem - e apesar das alegações iniciais, posso "mensurar" alguma coisa.

Para a massa você vai precisar de um pacote de bolachas maizenas. Trituradinhas ou esfareladas (mão ou liquidificador, o gosto do cliente determina) e manteiga (eu usei a gelada): você junta e a massa tem de ficar molhada, sem ficar molenga demais. Daí você forra uma forma de fundo removível e leva ao forno pré-aquecido por uns 15-20 minutos. Quando estiver pronta, desligue e reserve.

Ocupemo-nos do recheio...

Panela em mãos e sua velha colher de pau (outro pedido de desculpas. A vigilância sanitária "desrecomenda" colheres de pau, mas sou fiel e leal às minhas queridas. Delas, não abro mão): você vai precisar de leite condensado, 3 gemas (a proporção é essa: para cada lata de leite condensado, 4 gemas de uma galinha feliz), um tiquinho de noz-moscada (tem gente que prefere baunilha. Be my guest!) e umas raspinhas de limão. Solamente. Leve ao fogo em uma panela antiaderente (cês sabem, né? AMO as antiaderentes porque detesto esfregar panela.. humpf!) até engrossar. Desligue e deixe esfriar. Enquanto esfria, pegue as nozes e amêndoas (eu usei macadâmias) e leve-as ao liquidificador. A função pulsar, por umas 4 vezes, já resolve a parada. Incorpore essa "farofa" de nozes+amêndoas ao creme/recheio.

Daí você despeja e com uma espátula ajeita com carinho o creme na forma de biscoito. Decore como sua criatividade mandar... Não havia cerejas frescas em casa, de modo que só para garantir o colorido, fui de kiwi.

Posso ser "modesta"? A torta é um escândalo e foi a campeã de elogios da noite. Vale a pena...

domingo, 26 de dezembro de 2010

Torta de amêndoas com nozes


Essa receita bobinha (mezzo dona Benta, mezzo inventada) fez um sucessão no Natal. Por ora, deixo só a foto, para deixá-los com água na boca. Posto a receita amanhã.

Kir Royal (e bombons) da @brunaguerrier


A Bruna é uma figura adorável!!! Nos conhecemos em tempos remotos, quando decidimos estudar Alemão, na Casa de Estudos Germânicos, na UFPA.
Bons tempos aqueles (suspiros).
Daí, graçar ao twitter, nos reencontramos e desde então trocamos umas figurinhas gastronômicas.
Quando ela disse que estava fazendo:
1. Kir Royal
2. Bombons de panettone

P-I-R-E-I

Insisti tanto pelas receitas e ela, sempre gentílissima, mandou... =) (feliz, eu?)

Kir Royal
Kir Royal: mooooointo difícil
9 partes de espumante brut (demi-sec tb fica bom)
1 parte de licor de cassis
1 cereja (ou duas, se vc quiser, ora bolas)

dica: se vc colocar primeiro o espumante e o licor depois, nem precisará do mexedor de drinks.

Para o Kir simples, substitua o espumante por vinho branco seco. Também é delicioso.


2) Bombom de Natal ou bombom de panetone

Primeiro explico. O bombom foi inspirado numa receita da Nigella, mas mudei tantos ingredientes e fui fazendo tudo no olho, que vou ensinando a receita do zero. A inspiração veio daqui.

Vídeo com a Nigella-deusa-perfeita-ídala


Eu fiz assim, meio sem medidas...
3/4 de um panetone de 750g - gelado (deixe por algumas horas na geladeira)
licor de cacau (eu fui colocando até dar o ponto e o gosto que eu queria)
3 ou 4 colheres de sopa de glucose de milho - Karo
uns 250g de chocolate meio amargo
uns 100g de chocolate branco
algumas cerejas ao marasquino picadas

Preparo:
O panetone (pode ser um bolo de frutas também) tem que estar gelado. Pique e depois esfarele numa tigela. Comece a adicionar a glucose de milho e o licor, misturando bem com um garfo. Umedeça o panetone/bolo até obter uma massa que fique meio homogênea, mas grude nos dedos (por isso recomendo misturar com o garfo, na verdade).


Derreta o chocolate meio amargo e misture à massa, bem misturado. Depois faça bolinhas, coloque num tabuleiro e leve para gelar até firmar. Então derreta o chocolate branco e coloque só um pouquinho em cima de cada bombom, como se tivesse "nevado". Com o chocolate branco ainda mole, decore com um pedacinho de cereja. Devolva os bombons à geladeira.


Rende uns 50, 60 bombons, depende da sua bolinha.

E é uma delícia. O meu ficou bem alcoolico, o marido foi provando a massa e pedindo "desce maaaaais", como bom mineiro fã de Skank, e super combinou. O legal é que acho que outros bolos (desde que gelado) e outros licores que combinem entre si podem ser usados nessa receita. O chocolate dá a liga e endurece o bombom, mas em Belém ele fica mole rápido fora da geladeira, tenho que achar um ponto melhor, talvez mais chocolate na proporção pra ficar mais duro. Pra ter cara de Natal, tem que ser panetone ou bolo de frutas, pq as frutas cristalizadas dão o toque christmasy.


bjs!

Feliz Natal... atrasadinho



Natal sempre foi sinônimo da festa mais animada em família. E pela primeira vez, nos últimos 4 anos, passaremos a data juntos. Todos nós. E eu me animei mais. Pensei em presentes diferentes, que pudessem ser feitos por mim. Como foi um ano difícil, complicado, desejei muito presentear os meus com fotos... É, fotos. Foi um tal de checar os pendrives, CDRs, computadores e mesmo os albuns de papel, em busca das melhores imagens, as mais representativas.
Tanto esforço tinha uma mensagem - nem tão implícita assim: são inúmeras as dificuldades e a vida não é fácil! Mas saber que há um colo e ouvidos atentos, à sua espera, fazem toda a diferença (e, confesso, às vezes esqueço isso) e família é isso: o porto seguro, para onde a gente sempre pode voltar, recarregar as forças, repor o fôlego. Minha família foi excepcional - este ano, especialmente. E tanta inspiração motivou escrever longos cartões para cada um deles (nos detalhes das fotos).
Eu sei que o Natal já passou e o trabalho me exigiu muito nas últimas semanas, motivo pela qual o blog andou tão parado...
Eu vivo dizendo: não é uma promessa, é um desejo - atualizá-lo mais, porque ele é um prazer, uma terapia. Enquanto isso, desejo a vocês (ainda que fora de hora) dias bonitos, de sorrisos largos e sinceros, boas notícias, de encontros felizes e gestos gentis. Que Papai Noel seja generoso com todos!

* NOTA: o cartão, no detalhe, é de Dona Maria Lúcia, matriarca da minha família, minha avó-mãe...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Arroz maluco de bacalhau da Hilta


Minha amiga (phyna) Hilta - assim já suspeitava - é uma cozinheira de mão cheia.
Dia desses, entre tuitadas, ela escreveu que estava fazendo um "arroz de bacalhau", ao que me "assanhei" toda e pedi que ela mandasse fotos e o modus operandi do tal arroz..
Gentilíssima como só ela pode ser, mandou e-mail e fotos...

ATTENTION, PLEASE!!!! Notem os "pratos" de Hiltinha.
Minha flor, nem sei como agradecer...
Mas tenho um pedido: faz esse arroz para mim quando eu pintar em Bsb??? =)
- Torcendo que ela diga "sim" -

Lorena querida,
Seguem as fotos do preparo prometidas.
Quanto à receita, prefieri chamá-la de relato porque foi tudo feito meio de "orelhada", coisa de adoro - CRIAR.
Bem, eu ia fazer um risoto, mas meu love me pediu pra trocar pra arroz branquinho, que ele ama.
O mis-en-place CHIQUÉÉÉÉRRIMO de Hilta

E assim tudo começou...
O arroz branco eu fiz a parte e reservei. Daí eu refoguei o bacalhau (+/- 500g) em lascas no azeite extra virgem + 2 cebolas médias picadas + 2 dentes de alho amassados + um pouco do alho porró. Deixei ferver por uns 5 minutos e retirei. Em seguida, na mesma panela wok preparei os ovos mexidos. Depois, fui só acrescentando os demais ingredentes assim: coloquei o arroz, o bacalhau, as azeitonas pretas picadinhas, 2 tomates frescos sem sementes picadinhos, o restante do alho porró, as castanhas do pará trituradas e o coentro. Misturei tudo, tampei a panela e desliguei o fogo.

Somente no momento de servir foi que adicionei a batata palha. Hum, vc nem imagina como ficou DELICIOSO! Fomos "almoçar" às 19h. Isso tudo acompanhado de um Prosecco, seguido de duas garrafas de tinto. Começamos os trabalhos lá pelas 13h. Foi delícia. Pra encerrar com chave de ouro, o FLU foi campeão. UHU!
Beijos amiga

--
Hilta




quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Um desejo saciado


Eu avisei que estava desejosa de bebericar uma taça de vinho.
Er... quer dizer... acabei tomando a garrafa toda. Gosto muito desse frizante - Lunae - da Salton e ele estava "estalando" de gelado, me joguei...
Eu avisei e convidei.... Ninguém quis vir junto... rs
Sabe o que é melhor? 15 mangos, a garrafa.

Torta de limão.... em forma de iogurte


Tortas de chocolate e pudins de leite, nunca mais!
CLARO que há muito mais exagero que realidade aí, mas deixem-me segredar algo para vocês: estou numa dieta. Das brabas. Ultra, mega, super, hiper-restritiva. É um trabalho sujo, fato, mas alguém tem de fazê-lo, né?
Então fui às compras. Carrinho de supermercado magro, macérrimo e ainda assim tive surpresas maravilhosas, ao chegar em casa.
Não é segredo que eu AMO ir ao supermercado. Vivo contando isso para vocês, né?
E na gôndola dos queijos e iogurtes, apostei - sem pensar muito - nas "sobremesas" activia: trouxe para casa três delas - o papaia com cassis, torta de limão e o frozen (que imita per-fei-ta-men-te um frozen yogurt). A alta aposta deu-se pelo fato que contei há pouco: uma dieta super restritiva obriga a gente a ser mais criativo. Deixei os chocolates (e afins) para quem pode consumi=los e me joguei no activia e... posso dizer? Não me arrependi. É DELICIOSO: o iogurte/sobremesa sabor "torta de limão" é super cremoso, grosso e o gosto é equilibrado. Super recomendadíssimo!!!!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Um clássico

...da culinária paraense: tapioquinhas com manteiga + café preto (no meu caso, com um 'cadinho de leite) pelando de quente, degustados às 15h... no auge do calor parauara. Troquei o almoço tardio por um par delas. Sem arrependimentos, garanto!

sábado, 20 de novembro de 2010

Miss Sarajevo



Para entender que a vida é bonita, mas breve. E que enquanto estamos bem, há gente que precisa de carinho, de dignidade.
Não é para ser um sábado triste, não. Longe disso: é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.
Bom sábado a todos!

Esses chineses incríveis e suas invenções maravilhosas!

Marília, minha irmã, adora novidades e foi ela quem me presenteou com essa cartela gigante de adesivos (made in China, é ÓBVIO!!!!) quando eu disse que queria comprar uma rosa estilizada de madeira para a parede do meu quarto. Isso foi há uns 3, 4 meses. Os adesivos ficaram "encostados", aguardando um bom momento e ele chegou! =)
Sempre quis um quarto espaçoso, que - SÉRIO - só tivesse a cama! No máximo uma cômoda ou o banco de beira da cama.
E eu, munida de força após uma pá de vitaminas e Biotônico Fontoura, arregacei as manga. Quarto novo (atravessei o corredor e passo a habitar o maior) pintado, cortinas novas e... adesivo na parede. Esses chineses inventam de tudo, né? Pois não ficou lindo, escândalo?!??!?
Sabe o que é melhor? A cartela custou 7 pilas.
Uma advertência: cuidado no manuseio e muuuuuuuuita paciência são exigidos.

Acompanhem a transformação:

A cartela, ainda na embalagem:


A parede, pronta, limpa:


Et... voilá!

Mais do mesmo - Pizzas

Essa semana i-n-t-e-i-r-a tive convidados especiais. Como a vida deu uma "virada" e meus novos horários não batem com os de meus queridos, tenho tido pouco tempo para a cozinha. Sério: tenho sido consumida pelo cansaço, típico de quem tem dormido pouco, poquíssimo. Lógico que na condição de "zumbi" e numa tentativa de não acabar com os bons hábitos alimentares, tento deixar a vida mais prática, sem abrir mão do saudável. E para minha surpresa, o mercado tem mesmo opções: molho de tomate light (eu preciso falar dessa descoberta num próximo post), mussarela de búfala light, massa de pizza com reduzido teor de gordura...
Então em nome da necessidade de carboidratos, da praticidade e, porque não dizer, da preguiça, me joguei nas pizzas. Sem grandes frescuras, mas extremamente saborosas!

A variação de mussarela com tomates, ganhou pimenta calabresa flocada e arrasou!


E, em nome de um convidado que ama embutidos...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

1001 receitas de Miojo


Para quem curte MOINTO miojo, a dica é esse site aqui (divertidíssimo): http://1001receitasdemiojo.blogspot.com/

Miojo: campeão na quantidade de sal


Renan Ramalho, do R7, em Brasília

O macarrão instantâneo, o famoso miojo, é o alimento com maior quantidade de sódio encontrada dentre os produtos industrializados mais consumidos no Brasil. Em média, um pacotinho de 85 g, preparado com tempero, chega a ter 2.721 mg da substância, mais do que o recomendado para um dia inteiro – o limite diário para o consumo de sódio é de 2.400 mg por pessoa, de acordo com o Ministério da Saúde.

Mineral presente no sal, o sódio em excesso é apontado pelos médicos como o principal vilão da pressão alta, doença que tem relação direta com problemas como o AVC (acidente vascular cerebral) e infartos. Nos alimentos industrializados, a substância é usada para aumentar o prazo de validade.

A medição foi feita num estudo divulgado nesta quinta-feira (18) pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que comparou a quantidade de sódio, açúcares e gorduras saturada e trans em diversos alimentos de várias marcas.

O miojo foi o alimento com a maior quantidade, seguido pelas carnes de frango empanadas (759 mg numa porção de 130 g) e pelos hambúrgueres bovino e de ave (567 mg em 80g e 525 mg em 80g, respectivamente).

A pesquisa mostrou ainda que o teor encontrado nos alimentos varia muito entre as marcas. No caso do miojo, foram analisados produtos de 12 fabricantes. A quantidade de sódio numa mesma porção, de 85 g, variou de 1.778 mg a 4.010 mg. Essa última marca, não revelada, coloca uma quantidade que representa 167% do que uma pessoa poderia consumir num dia.

A maior variação na quantidade de sódio foi encontrada na batata palha. Em 9 marcas analisadas, a diferença chegou a 14 vezes da menor (10 mg numa porção de 25g) à maior (139mg/25g). Em seguida vem o salgadinho de milho, com variação de 12,5 (29 mg a 176,5 mg, em uma porção de 25g).

Entre as bebidas, foi constatado que os refrigerantes de baixa caloria apresentam mais sódio que os comuns, que têm mais açúcar. Enquanto um refrigerante de cola "zero" tem 97 mg de sódio em 1 litro, o normal tem 54 mg.

Segundo Maria Cecília Brito, diretora da Anvisa que apresentou o relatório, o objetivo da agência agora é reforçar a recomendação às indústrias pela diminuição das quantidades de sódio nos alimentos, já que muitas já conseguem obter teores menores com mais tecnologia.

- Quanto menos tecnologia, mais concentração. As maiores empresas estão todas estudando. Agora, nós não podemos matar a indústria nacional. Mas a população pode fazer sua escolha.

A divulgação do estudo pela Anvisa visa também conscientizar os consumidores sobre os excessos encontrados. A ideia é motivar as pessoas a consultarem os rótulos dos produtos, onde estão informadas as quantidades dos nutrientes. O estudo completo está disponível no site da agência.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O rasante do bom velhinho


Estou tentando me redimir com Papai Noel, depois deste post aqui, pra lá de abusado.
Adoro guirlandas, mas decidi fazer diferente este ano.
E aí, meu bom, estou perdoada?

Com açúcar, com afeto



Ribamar é o "mestre doceiro" do Dom Giuseppe. De origem muito humilde, começou a trabalhar no setor de serviços ainda cedo e veio parar no restaurante há muito, muito tempo. Na cozinha, foi crescendo e caiu de amores pelos doces. Como alguém, com mãos tão calejadas, podia ter tanta delicadeza no fazer das sobremesas que encantam os clientes do Dom Giuseppe? Sensibilidade, meus caros. Muita sensibilidade. Sortuda eu sou por ter trabalhado com ele, que sempre me recebe com dengos, carinho e generosidade enorme. Agora raramente, mas sempre que vou, perdemo-nos (Riba e eu) entre afagos e trocamos receitas.
Das mãos dele nascem o Dolce Paola, campeão INVICTO no quesito sobremesa: brownie de fabricação própria, com sorvete de creme, chantilly e calda de chocolate. Mas também tem o Piccola Giulia, petit gateau de chocolate, o pudim INACREDITÁVEL (de tão molinho e tão macio) de leite, o suspiro com morangos.
Ah, creia-me, se você ainda não experimentou essas delícias, não tem ideia do que estou falando.

* A FOTO: fui ao restaurante, depois de muito tempo de ausência, na última sexta-feira, com umas amigas, para bebericar um vinho e claro que invadi a cozinha para beijar o Riba. Quase na saída, o César, garçom da casa, veio com esta "quentinha", contendo brownie. Nem tive tempo de agradecer, porque er... estávamos já alegrinhas demais. Nessa noite tive insônia (novidade!) e às 4 da manhã, lá estava eu, sentada à mesa da cozinha, na penumbra, sorvendo goles de café preto, enquanto brincava com o brownie.

* SOBRE O BROWNIE: Somente duas pessoas - 3, no máximo, e eu NÃO ME INCLUO nessa lista - têm a receita do bolo, naturalmente, mantida a 7 chaves. Se você, que é de fora, vier a Belém ou você que é daqui e nunca experimentou, quiserem um passaporte para o céu, passa lá no Dom Giuseppe... Aproveitem para conhecer essa criatura deliciosa que é o Riba.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Massa de pizza


A receita a seguir é uma das que mais gosto. Aprendi a fazer lá no Technicolorkitchen

Massa de Pizza

510g de farinha de trigo
15g de fermento biológico fresco (1 tabletinho)
2 colheres (chá) de sal
360ml de água em temperatura ambiente
62ml de azeite de oliva

Coloque a farinha numa vasilha grande (a massa cresce bem), esfarele o fermento com os dedos e misture. Junte o sal, a água e o azeite e mexa até formar uma espécie de "papa" - o autor compara a "mingau".
Jogue no mármore/granito e vá sovando como descrevi anteriormente. Pegue a massa e jogue na bancada (no começo, fiz isso com a ajuda de uma espátula). Tenha fé e não tenha preguiça. Mande ver. Depois de uns 10 minutos, a massa começa a ficar menos grudenta - antes disso, juntei aquela farinhazinha extra.
Faça uma bola e coloque de volta na vasilha, polvilhada com farinha de trigo. Cubra e deixe crescer por 1h10 minutos (ou coloque na geladeira de um dia para o outro). Abra a massa, espalhe o molho de tomate, cobertura e leve ao forno.
Foto: Google Images

Pizza Margherita


Gosto das coisas simples. Posso dizer que das pizzas simples, mais ainda.
A Margherita é uma das minhas favoritas. Molho de tomate, queijo mussarela, tomates (prefiro os cereja, sempre!), manjericão fresco e azeite.
Comprei massa de pizza pronta, da Mezzani. Cada pacote vem com uns 8 discos de pizza. Optei pelo tamanho médio (uns 15-18 cm de diâmetro). Abri uma lata de tomate pelatti (mas vai ficar bom com um bom molho de tomate, não precisa usar o que eu usei), dispus fatias de mussarela e levei ao forno. Só isso. Uns 10 minutinhos depois, você tira a pizza e dispõe os tomates (eu usei os cereja - aliás, são os que eu mais uso - por serem de uma doçura fantástica), cortados ao meio e as folhinhas de manjericão (lave bem, enxague e seque antes de usar, tá?).
Poderão me perguntar: você não leva o tomate ao fogo? Depende. Tomates tendem a esturricar, enfim, prefiro sentir a maciez. Quanto ao manjericão, 'cês sabem, né? Levar ao forno vai queimá-los e o gosto pode ficar desagradável.
A pizza foi feita em homenagem à querida Nikita, que veio me visitar e amou as surpresas. Havia de outro sabor, menos simples, mas essa eu deixo pro próximo post.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Já pode abrir os presentes?


Papai Noel, querido:
nas seguintes linhas mal traçadas permita-me um atrevido, porém sincero desabafo: Natal me deixa melancólica. Pronto, falei.
Nem vou começar a enumerar os motivos, porque vão dizer que estou querendo bancar à Madre Teresa.
Entretanto, porém, contudo, todavia, mas, eu AMO panettone. AMO, assim, em caixa alta. O sr. sabe que foi um ano difícil, mas me comportei dignamente. Quase uma vestal.
Portanto, espero que o sr.não se importe, mas já DETONEI o primeiro panettone.
Já posso abrir os outros presentes?

Ass., Lorena, sua serva mais humilde (a.k.a a ladra de padarias).

* O panettone foi presente da Mirna, minha tia e vizinha favorita!

domingo, 7 de novembro de 2010

Sanduíche de Focaccia


A focaccia com orégano foi comprada lá na Santo Antônio. Mais um pão italiano da qual sou fã apaixonada.
E ela casou super bem com um queijo mussarela de búfala, mussarela comum e linguiça defumada.
Servidos?

Batatas salteadas*

* Ou Batatas Sauté





O passo-a-passo você encontra nesse vídeo, abaixo, uma iniciativa muito legal do "Vídeo-Receita". Bom apetite!

Ainda sobre o Círio


Miriti é coisa de Deus, né?
* Homenagem do Tribunal de Contas do Estado - TCE - à Virgem de Nazaré.
Parei lá inúmeras vezes só para olhar.

Lombinho ao mel com farofa de bolachas


Não sou a fã número 1 da carne de porco. Não mesmo. Mas sempre há lombinho - e esse corte me agrada - por conta dos apaixonados de casa.
Não há mistérios na preparação deste prato: é seguir as instruções descritas na embalagem. O meu toque pessoal ficou por conta do mel, que incorporou com a água que soltou do lombinho e é com essa mistura que você vai regar o lombo. Depois de pronto (vide instruções), é só desligar o forno e deixar lá por mais uns 10 minutinhos. Já explico o "porquê".
Simplésimo, não?
Mas mais simples ainda é o acompanhamento.
E posso me adiantar? Essa farofa É UM ESCÂNDALO!!!! (assim mesmo, em caixa alta)
Como vai dar "muito trabalho", você mata a farofa naquele tempinho em que o lombo ficará no forno.
Vamos lá? Antes, deixem-me fazer uma obs: essa receita é de uma tia minha, que adora cozinhar também. A farofa de bolachas dela é o acontecimento do Natal, porque ela capricha no bacon e outros ingredientes.
A minha é mais simples, mas fique a vontade para ousar.
Eu usei uma fileira de bolachas água e sal (nos pacotes geralmente vem 3, certo?) e é só você calcular. Uma fileira por pessoa, mas na minha opinião servem duas, tranquilamente.
Você esmigalha as bolachas e leva ao liquidificador no modo 'pulsar'. Se quiser uma farofa mais "padaçuda" e quiser fazer na mão, vá em frente. Reserve.
Numa frigideira, derreta uma colher de manteiga e acrescente as passas sem sementes e, em seguida, junte as bolachas trituradinhas. Mexa bem, desligue o fogo e some cebolinha picadinha.
Retire o lombo do forno e fatie generosamente. Sirva tudo em seguida, ainda quente.
De comer de joelhos e rezando. Juro =))))

domingo, 24 de outubro de 2010

Café da tarde


Ah... vocês já sabem, não? Adoro esse doce que, cá pelo Norte, chama-se "salva-vidas". É um micro bolo, tricolor em sabores "respectivos" às cores: morango, chocolate e leite.
Ganhei uma caixa deles (com umas 8 unidades) de uma tia sabedora de minha paixão. Foi a felicidade do café da tarde!

Revista Sopro


Esta bloggeira que a vocês escreve neste domingo, informa: está no ar a publicação mais chique, mais modernosa, mais linda que já li. A Revista Sopro.
É uma revista de moda e comportamento super atual, sem clichês (muito ao contrário!) feita por um grupo de profissionais apaixonados. Eis que ano passado, muito antes de a revista virar realidade, fui convidada por eles para assinar a coluna de Gastronomia: a "Tomates & Batatas" (algo familiar?). O convite, que tanto me honrou, foi aceito prontamente! E muito me orgulha ver o trabalho PRIMOROSO dessa moçada. Você, caro leitor, amigo deste blog, há de concordar comigo.

Para ler a coluna "Tomates & Batatas", você clica aqui (e espera carregar um pouco, tá?)

Mas leia a revista toda. Garanto, você também vai se apaixonar! Clique aqui ou vá para o endereço: www.revistasopro.com

T&P no "Em sua companhia"

Há alguns (muitos) dias, fui a convidada do Fabio, no programa "Em sua companhia" (que vai ao ar pela TV RBA - Belém, de segunda à sexta), para falar sobre o slowfood, jornalismo gastronômico e fazer um receita nordestina maravilhosa: pirão de ovos.
Foi uma manhã deliciosa, porque falamos sobre o slow food e na minha opinião TODOS deveriam conhecer.
Adorei a experiência, viu Fabio? Bora fazer isso mais vezes?
Algumas fotos para vocês:
href="http://4.bp.blogspot.com/_3pp2LJuHvVk/TMS40GnNfRI/AAAAAAAAC3U/rM7cBfDEsO0/s1600/DSC02146.JPG">

terça-feira, 19 de outubro de 2010

No more lonely nights



Ao, Maca (Paul McCartney), com carinho, em breve, no Brasil... No more lonely nights, de 1984.

Tortinha de... de quê, mesmo?


Mais post é da série "fotos-que-deveriam-render-posts-e-foram-esquecidos-em-alguma-pasta-do-pc".
O título deste post não é exatamente muito "apetecedor" (é neologismo?), então explico: acontece com você também? Ter vááááááários potinhos na geladeira com algumas "sobras"? A minha tinha alguns (muitos): brócolis cozido, ricota (um pedacinho), milho verde, uma linguiça defumada...
Você faz a massa, aquela velha amiga de sempre: manteiga e trigo (sal a gosto) e com essa massa forra uma forma. Leve ao forno (pré-aquecido, 10 min.) por outros 10 minutos, retire (eu gosto da massa bem assada) e coloque o recheio: usei os tais potinhos, bati o ovo com um pouco de creme de leite, guarneci o recheio e levei ao forno por outros 20 minutos (vá acompanhando, para não deixar queimar).
Ah, também tinha
uma garrafa de vinho branco, aberta no dia anterior... Dúvidas? rs

Chocolateria (e sorveteria) D'Amazônia




Esse post é da série "fotos-que-deveriam-render-posts-e-foram-esquecidos-em-alguma-pasta-do-pc".
Já tem algum tempo que fiz essas fotos. E pela (má)qualidade delas, vocês sabem que foram feitas com o cel.
A chocolateria D'Amazônia é produto da Incubadora de Empresas da UFPA (ainda pretendo escrever sobre ela) e já forte, ganhou o mercado e pontos próprios, como o que fica anexo ao Armazém Santo Antônio, na Quintino Bocaiuva, em Belém. Como vizinha que sou, sempre que posso, estaciono por lá, porque além dos chocolates, agora o "mix" oferece sorvetes e eu gosto bastante do sabor "iogurte desnatado". O preço é justo, competitivo e o horário é compatível ao do Armazém. Em suma: se você tiver vontade de tomar sorvete Às 23h, provavelmente encontrará a D'Amazônia aberta.


Um destaque merecido: as casquinhas - de você gostar, é um convite - recebem chocolate derretido, confeitos, estrelinhas de açúcar. Mas tem do tipo simples também.


E os esmero com a apresentação dos chocolates, hein? Tudo lá é muito, muito caprichado. Destaque para as barrinhas e chocolate com damasco. Eu gosto e apreciei mais umas duas.


As atendentes são muito gentis e o ambiente é pra lá de acolhedor, com ar-refrigerado potente.
Vai por mim: passa lá, pede um sorvetinho e contemple a paisagem.