quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Bananas!

Yes, nós temos bananas!

Não resisto a uma banana. Antes que eu seja mal interpretada, me explico: é uma das frutas de minha predileção. Os benefícios da banana são inúmeros. Ouvi dia desses que as bananas contém triptofano, que, quando ingerido, aumenta os níveis de serotonina no organismo (Prozac pra quê?!?!?!). Comer uma banana por dia pode ajudar a diminuir os estados de depressão (olha lá, viva a banana!!!). Imagine se você comer duas, três bananas por dia (será que isso explica minha agitação e inquietação?).
A banana é o fruto (ou melhor: uma pseudobaga) da bananeira, uma planta herbácea vivaz acaule (e não uma "árvore", apesar do seu porte) da família Musaceae (gênero Musa - além do gênero Ensete, que produz as chamadas "falsas bananas"). As bananas constituem o quarto produto alimentar mais produzido no mundo. Depois vem: arroz, trigo e milho. São cultivadas em 130 países.

Mas, olhando para a história, parece que não sou a única. Pessoas bem mais “estreladas” que eu, também não resistiram aos apelos (e perfume) desta fruta.

Comentei aqui no blog que ando meio aficcionada por livros de culinária. Comentei com um amigo sobre essa mania e ele comentou: “você precisa ler o The Presley Family Cookbook (o livro de receitas da família Presley)”. A publicação é bem rara aqui no Brasil, mas consegui ler alguns capítulos (disponibilizados na web) e o livro é simplesmente o máximo! Quando tento evocar as lembranças do Elvis, só me vem à mente a imagem dele gordinho, de macacão. Natural. Sabe-se que no final de sua vida, o Rei comia muito (bote muito nisso!) e seu café da manhã, completíssimo, beirava em torno de cinco mil (!!!!!) calorias.
Já falei outras vezes aqui e acho legal reiterar - tem um blog, do qual sou fã, que é administrado por uma moça super criativa (a Fernanda), que também fala deste tal sanduíche (a receita foi enviada por meu queridíssimo amigo José Pedro e descobri que ele pegou o passo-a-passo no Chucrute com Salsicha - www.chucrutecomsalsicha.com, da simpaticíssima Fer Rosa). Obrigada, Fernanda, pelo toque!

Mas uma coisa da qual o Elvis não abria mão era o sanduíche de banana, que levava manteiga de amendoim e era frito!
Bananas, bananas para dar e vender
Zapeando a TV numa madrugada dessas, comecei a assistir “O Aviador”, que retrata a vida do polêmico Howard Hughes (um mix de empresário, cineasta, produtor e que teve casos amorosos com grandes divas de Hollywood). Cheguei ao final do filme e lamentei: Martin Scorsese não incluiu uma paranóia do Howard Hugues, que se apaixonou pelo sorvete de banana com castanha da Baskin-Robbins' e pediu (de uma única vez) 350 galões de sorvete (que ele consumia compulsivamente). Não creio que a banana tenha ajudado Mr.Hughes a superar algumas neuras.
Para finalizar este post, não poderia deixar a Carmem, minha querida Carmem de fora. Bom apetite!

4 comentários:

fezoca disse...

que post coincidente! ;-)

Anônimo disse...

Lorenn, prima linda.
interessante esta particularidade de Hugues, eu realmente não sabia da compulsão por sorvete. Cá pra nós, sorvete de banana?!?!? é, ele era mesmo excêntrico..

Lorena Filgueiras disse...

Edna, minha querida prima linda. Tb acho meio unusual gostar de sorvete de banana... Mas aqui na Cairu tem um sorvete de banana caramelada com canela... Uma coisa de louco! Quando vc vier à city, vamos nós duas lá. Beijos!

Lorena Filgueiras disse...

Fê, só agora li teu comentário. Tive uma boa fonte de inspiração.. teu site é lindo!